sexta-feira, 26 de junho de 2009

CONFIRMADO 1º CASO DE GRIPE SUÍNA NO CEARÁ

O Ceará foi o oitavo estado nordestino a confirmar casos da doença. Bahia tem cinco casos confirmados

O Ceará registrou o primeiro caso de Influenza A (H1N1), causador da gripe suína. A paciente é uma jovem de 22 anos que chegou de viagem de Nova Iorque, nos Estados Unidos, no último dia 18, com os sintomas da doença. “É previsto um aumento de casos após as férias de julho, já que as agências de viagem estimam que oito mil cearenses devem ir para os Estados Unidos”, alerta o presidente do Comitê Estadual de Prevenção e Controle da Influenza A e coordenador de Promoção e Proteção à Saúde da Sesa, Manoel Fonseca.
No momento, o Estado tem mais cinco casos suspeitos de gripe suína, que surgiram do dia 21 até ontem. “Essas pessoas em observação também chegaram de viagem dos Estados Unidos, com sintomas da doença”, afirma Fonseca. A Sesa aguarda o resultado dos exames para a próxima semana, já que demoram, em média, cinco dias úteis para conclusão do laudo laboratorial.
O Ceará foi o oitavo estado nordestino a confirmar casos da Influenza A (H1N1). A Bahia está em primeiro lugar com a confirmação de cinco casos. Em segundo lugar estão empatados Alagoas e Sergipe, com quatro casos, Paraíba fica na terceira posição com dois casos. Maranhão; Pernambuco e Rio Grande do Norte igualam-se com o Ceará, com uma ocorrência da doença. Antes desta confirmação, apenas o estado cearense e o Piauí estavam livres da doença.
Caso confirmado
A Sesa recebeu, na noite da última quarta-feira, a confirmação do Ministério da Saúde do primeiro caso da gripe suína no Estado. A jovem, de 22 anos, que reside na Aldeota, contraiu o vírus H1N1, quando esteve em Nova York. “Ela chegou da viagem no dia 18 deste mês, com os sintomas da doença (febre alta acima de 37,5 graus, tosse e coriza) e no dia seguinte foi procurar atendimento no Hospital São José”, relatou Manoel Fonseca.
Segundo ele, a paciente com gripe suína realizou a coleta de secreção no dia 19 e o material foi encaminhado ao Evandro Chagas, laboratório que para o Norte e Nordeste é a referência do Ministério da Saúde. Após notificada com sintomas da gripe no Hospital São José, ela foi medicada e permaneceu isolada em casa, por dez dias, em regime de quarentena.
Fonseca disse ontem, que a jovem já esta curada e que ninguém da sua família apresenta nenhum sintoma da doença.
Na visão de Fonseca, a confirmação do primeiro caso de gripe suína no Ceará não deve causar pânico à população, uma vez que no Brasil não há transmissão sustentada do vírus. “Todos os casos autóctones têm vínculo com infecção contraída em outros países, principalmente dos Estados Unidos, do Canadá, México, Chile, Argentina e Austrália”, frisou.
Se forem confirmados novos casos da doença, a partir de julho com o retorno das pessoas que foram passar férias em Orlando, nos parques da Disney, Manoel Fonseca garante que o Estado está preparado para tratar os pacientes. Até agora, os 15 casos suspeitos, nove já descartados e cinco sob investigação, estão sendo tratados com medicação em casa.
Prevenção
Segundo ele, ainda não foi necessária nenhuma internação, “mas se tivemos casos mais graves de gripe suína, os pacientes poderão ser enviados para o Hospital São José e para o Hospital das Clínicas”, ponderou Fonseca. Ele aproveitou para reforçar a recomendação do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, de que idosos com mais de 60 anos, crianças menores de dois anos, gestantes, diabéticos, cardiopatas, pneumopatas, renais crônicos e pacientes em tratamento de Aids e câncer ou em uso regular de corticóides, devem adiar as viagens aos países afetados - com transmissão da doença, caso seja possível, tendo em vista ser o grupo que apresenta maior risco de desenvolver a forma grave da gripe suína.
As pessoas que não puderem transferir a viagem devem tomar alguns cuidados básicos de higiene no exterior. “Lavar bem as mãos com água e sabão, levar lenços descartáveis, evitar tocar os lábios, o nariz e os olhos. É importante ainda não manter contado com pessoas que estejam tossindo, evitem abraçar ou beijar. Isso só entre brasileiros”, finalizou. ENTREVISTA
Mesmo em período de alta estação, com vôos internacionais diretos, não há motivos para pânico
Anastácio Queiroz-Diretor do Hospital São José
Meruocanews: O Ceará está preparado para atender aos possíveis casos de gripe suína no Estado?
Anastácio Queiroz: A grande maioria dos casos atendidos no Brasil e no mundo é ambulatorial.Então, sim, para pacientes ambulatoriais, temos uma grande capacidade de atendimento. Se fossem casos de internação, aí ninguém nunca está preparado. Mas temos certeza de que isso não vai ocorrer porque os casos têm se mostrado ambulatoriais.
M.N: Foi necessária a preparação da Saúde do Estado para o período de alta estação?
A.Q: Nós estamos muito distantes dos focos das doenças. Temos muito poucos casos suspeitos, em comparação com outros estados. Não há necessidade de adaptação para a alta estação. O Brasil vem atuando com muita determinação para identificar os casos.Além disso, aqui não é a época das gripes comuns, o que nos ajuda. Os estados do Sul serão mais prejudicados porque, com sintomas semelhantes, fica mais difícil identificar os casos.
M.N: Há medicamentos bastante no Ceará, caso a quantidade de infectados aumente?
A.Q: Todos os medicamentos têm sido fornecidos pelo Ministério da Saúde. Foi comprado um número muito acima do que está sendo necessário. Não tem perigo de faltar medicamento no Ceará. No nosso procedimento, quando há um caso suspeito, tratamos como se já fosse confirmado e pedimos medicamento para um possível tratamento. Tenho certeza que não vai faltar medicamento no Brasil, nem no Ceará.
M.N: E quanto aos exames, os resultados estão saindo em tempo hábil?
A.Q: Os exames estão sendo colhidos no Hospital São José. Nosso interesse era descentralizar, mas são tão poucos casos, que ainda não foi necessário. Do hospital, enviamos as amostras para o Laboratório Central, que encaminha para o Instituto Evandro Chagas, no Pará, o laboratório de referência do Ministério da Saúde. O resultado deveria ser liberado em três dias, mas está sendo suficiente. Desta moça em quem foi feito o diagnóstico hoje (ontem), por exemplo, coletamos amostras na última sexta-feira.
M.N: A população de Fortaleza precisa tomar algum cuidado especial para se proteger nesta alta estação?
A.Q: É fato que teremos muito estrangeiros, mas não são necessários todos esses cuidados. Normalmente, as pessoas que viajam estão sadias. É lógico que pode haver alguém que chegue no período de incubação, ou que manifeste os primeiros sintomas no avião, mas isso não é tão provável. A situação não oferece tantos motivos para preocupação.
M.N: É aconselhável adiar viagens marcadas?
A.Q: As viagens sempre levam casos, mas realmente não há razão para pânico. É óbvio que quem tiver mantido contato com alguém de países infectados ou que tenha viajado para essas áreas deve ficar alerta se apresentar sintomas de gripe. A recomendação é que essa pessoa procure o serviço de saúde para investigar as possibilidades de ter sido infectado pela doença. Mas a população pode ficar mais tranqüila, porque a gripe suína é benigna.

Nenhum comentário:

QUER NOS MANDAR UM E-MAIL?


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:


TRASLATE

Flag Counter...

free counters

TWITTER

Sigua nós no Twitter