segunda-feira, 17 de outubro de 2011

ELEIÇÕES MUNICIPAIS: PSD será útil ao governador

Rosendo Amorim diz que o PSD será útil em caso de racha entre PT e PSB 
Recém-criado, o Partido Social Democrático (PSD) chega ao País de maneira que seus principais dirigentes evitem definí-lo como uma agremiação de base governista ou oposicionista. Com número de cargos proporcionais e majoritários maior que algumas agremiações já existentes há vários anos, o posicionamento central no qual se coloca a sigla revela que seus membros ficarão do lado que for mais conveniente. Portanto, ainda não é a hora de decidir. No Ceará, o professor de Ciências Políticas da Universidade de Fortaleza (Unifor), Rosendo Amorim, ressalta o apoio dado pelo Governo Cid Gomes à sigla como uma forma de tentar fortalecer ainda mais o partido do governador no pleito de 2012, entretanto, em entrevista ao Diário do Nordeste, o ex-deputado federal Ciro Gomes (PSB) admite: não está satisfeito com essa aproximação entre PSD e PSB.
Ciro, que comanda os rumos das articulações do PSB no Estado para as eleições, avisa que não está gostando do "rosto que o PSD tomou no Ceará". Isso porque, para ele, a população fica mais fraca quando as siglas se fortificam em alianças tão intensas como tem ocorrido.
Chapas
No entanto, esse comportamento de compor grandes chapas tem recebido um dos maiores esforços de Cid Gomes - e de grande parte de seus principais aliados - desde que concorreu à chefia do Executivo em 2006, tanto que conseguiu trazer para o seu lado até mesmo o PSDB.
"O PSD aqui - não dá pra iludir ninguém e nem é o meu perfil - já nasceu aliado ao Governo, mas eu não gosto do rosto que ele (PSD) tomou, porque acho que esse negócio de ficar todo mundo do mesmo lado desvaloriza o povo". Foi essa a justificativa dada por Ciro ao ser questionado sobre a aliança entre o PSD e o PSB.
Ciro reclamou dos acordos fechados entre dirigentes partidários. "Os políticos têm essa tendência de fazerem acordo para ficar todo mundo do mesmo lado e para tirar o povo da jogada, e eu não gosto. Eu gosto é do conflito, até na ponta do exagero, porque o conflito valoriza as pessoas. É o conflito que revela a verdade. Isso é a minha posição pessoal", destacou.
No entanto, ao avaliar a situação da nova agremiação, o professor, Rosendo Amorim, embora tenha dito que PT e PSB ainda não tenham dado sinais de rompimento, avisa que o PSD deverá ser muito útil ao PSB durante o pleito do próximo ano, caso haja um racha na atual aliança.
"Acho difícil o PSB romper com a base aliada do Governo, pois, no tipo de estrutura política que nós temos, quem está ao lado do Governo dificilmente vai querer se contrapor. Agora, como não temos uma tradição de fidelidade partidária, o PSD pode ser útil num possível confronto se houver uma racha entre PT e PSB", explicou.
Como Luizianne Lins e Cid Gomes não têm um alinhamento considerável, o pesquisador ressalta a possibilidade de cada um partir para um lado.

Nenhum comentário:

QUER NOS MANDAR UM E-MAIL?


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:


TRASLATE

Flag Counter...

free counters

TWITTER

Sigua nós no Twitter