segunda-feira, 29 de junho de 2009

COPA DAS CONFEDERAÇÕES- BRASIL 3 EUA 2

O Brasil conquistou ontem, na África do Sul, o tricampeonato da Copa das Confederações ao bater os EUA por 3x2
Jogadores da Seleção Brasileira comemoram muito a conquista do título na África do Sul

Luís Fabiano não teve clemência e conteve o ímpeto dos Estados Unidos, que abriram 2 a 0 no primeiro tempo contra a seleção verde-amarela. O camisa 9 empatou a final da Copa das Confederações com dois gols para, depois, o capitão Lúcio usar a cabeça e o coração para fazer 3 a 2 sobre a zebra norte-americana.
Foi dramático, mas, com muita raça, o Brasil venceu o ferrolho defensivo armado por Bob Bradley nos Estados Unidos. Os norte-americanos venciam por 2 a 0 no intervalo, com gols de Clint Dempsey aos 9 minutos de jogo e Landon Donovan, aos 25. A reação foi construída toda no segundo tempo: dois de Luís Fabiano, o primeiro a 1 minuto e o segundo, aos 30. Aos 40, Lúcio fechou o placar e consolidou a virada da Canarinho.
Atacante Luís Fabiano festeja a marcação de seu 2º gol na vitória brasileira

Triunfos dramáticos Foi o tricampeonato do Brasil que, depois de tantas dificuldades, consolidou a segunda vitória sobre os norte-americanos nas Confederações. Para levantar a taça depois dos títulos de 1997 e 2005, a seleção de Dunga comemorou a taça após vitórias por 4 a 3 sobre o Egito, dois placares de 3 a 0 (sobre EUA e Itália) e dois triunfos dramáticos: 1 a 0 sobre a África do Sul e 3 a 2 na revanche contra a zebra ianque. Um verdadeiro cadeado trancou a passagem do Brasil assim que o árbitro Martin Hansson apitou o início da decisão. A única saída para o Brasil driblar esse ferrolho era acelerar a velocidade do passe e do ataque, especialmente pelas laterais. Pela direita, Maicon era quem mais se destacava, mas não vinha conseguindo direcionar os cruzamentos para os parceiros de amarelo. Tranqüilos na defesa, os norte-americanos ensinaram para o Brasil como deveria ser feito. Em uma jogada rápida pela direita aos 9 minutos, o lateral Jonathan Spector acertou um cruzamento para Clint Dempsey. O meio-campista se antecipou à marcação e desviou. Não acertou em cheio, mas o toque foi suficiente para jogar a bola longe de Júlio César. O camisa 1 brasileiro se estirou todo, mas apenas o pescoço e os olhos esticados alcançaram visualmente a bola, que entrou na rede. Aos 25 minutos, o Brasil foi com tudo para o ataque em uma cobrança de escanteio. Maicon pegou mal na bola, que atravessou toda a grande área e caiu nos pés da zaga norte-americana. O meio-campo, agora, estava aberto: contra-ataque, 2 contra 2. Era a chave que os Estados Unidos precisavam para complicar e muito a situação brasileira. Charlie Davies disparou pela direita e rolou para a meia-lua, de onde Landon Donovan driblou Ramires e bateu firme, cruzado, para aumentar o placar: 2x0. A essa altura, os Estados Unidos se fecharam ainda mais. A Seleção Brasileira tinha vários problemas para sair jogando facilmente até mesmo em seu campo de defesa. Depois que a bola rolou no segundo tempo, o que não foi feito em 45 minutos saiu em 30 segundos. Jogada rápida pela direita, Maicon encontrou Luís Fabiano na área. O camisa 9 girou sobre a marcação de Jay DeMerit e bateu firme e forte, rasteiro: gol brasileiro. A vantagem das zebras diminuía para 2 a 1. Aos 15, Kaká cabeceou no travessão e Howard tira a bola de dentro da meta. Os auxiliares não viram o gol. Aos 30, Luís Fabiano conseguiu empatar. Depois de Robinho desviar cruzamento no travessão, o centroavante apareceu na pequena área para, de cabeça, igualar o marcador. O gol que selou o tricampeonato do Brasil surgiu aos 40 minutos. Elano bateu escanteio da direita e encontrou a cabeça de Lúcio, que finalizou com força para fechar a partida.
Meia-atacante Kaká ergue o troféu de melhor jogador da competição chancelada pela Fifa, o craque Bola de Ouro
TROFÉUS
Brasileiros dominam a lista dos destaques
O país tricampeão da Copa das Confederações levantou mais do que a taça na África do Sul, ontem. A Canarinho levou três prêmios pelo desempenho nos gramados africanos nas última semanas: jogo limpo, atacante e artilheiro.
Time que prezou mais pelo espetáculo durante a Competição, o Brasil recebeu por meio de Lúcio o troféu de Fair Play, entretanto, os troféus mais destacados foram para Kaká e Luís Fabiano. Autor de dois gols no torneio, mas principal elo entre meio-de-campo e ataque do time de Dunga, Kaká foi indicado pelos jornalistas que cobriram a Copa como o craque do torneio, com a bola de ouro. O segundo colocado, que levantou o esférico de prata, foi Luís Fabiano. O camisa 9 fabuloso do Sevilla, da Espanha cumpriu à risca o plano estipulado antes da estréia, fechou o torneio com cinco gols marcados (média de 1 por jogo) e ganhou a chuteira dourada.
FICHA TÉCNICA
Brasil 3 Júlio César; Maicon, Lúcio, Luisão e André Santos (Daniel Alves); Gilberto Silva, Felipe Melo, Ramires (Elano) e Kaká; Robinho e Luís Fabiano. Técnico: Dunga.
EUA 2 Tim Howard; Jonathan Spector, Oguchi Onyewu, Jay DeMerit e Carlos Bocanegra; Ricardo Clark (Conor Casey), Clint Dempsey, Benny Feilhaber (Sacha Kljestan) e Landon Donovan; Charlie Davies e Jozy Altidore (Jonathan Bornstein). Técnico: Bob Bradley.
Competição - Copa das Confederações. Estádio - Ellis Park, em Joanesburgo (África do Sul). Data - 28 de junho de 2009. Árbitro - Martin Hansson. Assistentes - Henrik Andren e Fredrik Nilsson (Trio da Suécia). . Gols - Luís Fabiano, a 1 e aos 30; e Lúcio, aos 40 minutos do 2ºtempo para o Brasil. Dempsey, aos 9 minutos; e Donovan, aos 25 minutos do 1ºtempo para os EUA. Cartões amarelos - Bocanegra (EUA); Lúcio, André Santos e Felipe Melo (Brasil).
Atacante Daniel Guiza comemora a marcação de um de seus gols na vitória espanhola sobre os africanos

Nenhum comentário:

QUER NOS MANDAR UM E-MAIL?


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:


TRASLATE

Flag Counter...

free counters

TWITTER

Sigua nós no Twitter